Estamos en proceso de migración de contenidos al nuevo sitio de Alasbimn Journal. Puede acceder a los últimos artículos en: www.alasbimnjournal.net
Inicio arrow Medicina Nuclear General - XXIII Congreso de ALASB arrow Metástase única de linfonodo em trânsito no melanoma maligno. Relato de caso e revisão de literatu

Alasbimn Journal Year 14, Number 54, October 2011 / Año 14, Nº 54, Octubre 2011
XXIII Congreso de ALASBIMN: Resúmenes.

 

Metástase única de linfonodo em trânsito no melanoma maligno. Relato de caso e revisão de literatura.

 

Trabalho No. 73
Apresentação Pôster
Autor Apresentador: Parra, ATT
Outros Autores: Masta, MHM; Parra, ATT; Carvalho, TS; Oliveira, ATT, Pazzotto, CF; Moriguchi, SM
Instituição: Fundação Pio XII ñ Hospital de Câncer de Barretos, São Paulo, Brasil
País: Brasil.

 

Introdução

A pesquisa do linfonodo sentinela em pacientes com melanoma maligno é um método seguro na avaliação do status linfonodal. Permite a exploração cirúrgica minimamente invasiva das cadeias linfonodais com maior risco de micrometástase. Parte-se do princípio de que seus ductos linfáticos drenam diretamente da lesão primária e estes linfonodos são detectados, na maioria dos casos, nas cadeias anatômicas habituais. Como a drenagem linfática da pele é imprevisível, linfonodos situados entre o sítio primário e as cadeias tradicionais, denominados em trânsito, podem ser identificados.

Objetivo

Relatar um caso de melanoma maligno lombar com drenagem para quatro cadeias linfáticas e metástase única no linfonodo em trânsito. Relato de caso: Masculino, 65 anos, branco, com história de lesão acastanhada, indolor, na região lombar direita há dois anos, de crescimento progressivo, com aspecto vegetante nos últimos dois meses. A biópsia excisional foi sugestiva de melanoma maligno. Encaminhado ao nosso hospital para ampliação de margens e estadiamento nodal e metastático. Ao exame físico apresentava lesão nodular hipercrômica em região lombar direita, de 2,6 cm, e linfonodo palpável em axila direita, de 1,0 cm de diâmetro. O US abdominal evidenciou metástase hepática e esplênica. A pesquisa de linfonodo sentinela (LS) foi realizada com injeção intradérmica de 1 mCi de fitato-99mTc em 0,2 ml em quatro pontos perilesionais. A linfocintilografia foi iniciada imediatamente após, com imagens de fluxo, estáticas das regiões axilares e inguinais e varreduras com 30 minutos e 3 horas. O fluxo mostrou progressão sequencial do RF para uma área focal com intensa captação na região intercostal direita e após para mais quatro áreas focais, em intensidade moderada e de menor dimensão, respectivamente em regiões axilar ipsilateral, inguinais e axilar esquerda. As varreduras precoce e tardia confimaram os achados. Inicialmente foi realizada a cirurgia radioguiada intra-operatória das cadeias linfonodais axilares e inguinais, sendo retirado um LS de cada cadeia, corados e sem aspecto macroscópico metastático, seguido de linfadenectomia. A seguir, optado pela retirada do linfonodo intercostal direito, discretamente corado, aumentado de volume e com características clínicas malignas. O AP da lesão lombar mostrou melanoma maligno nodular com invasão angiolinfática, Clark V, Breslow 12mm. Dos 15 linfonodos ressecados, só o linfonodo intercostal direito apresentava metástases de melanoma. Clasificado com estadio clínico IVb (T4bN1aM1), evoluiu para óbito em oito meses.

Comentário

A incidência do linfonodo sentinela em trânsito no melanoma reforça a utilidade da linfocintilografia pré-operatória como método essencial para o mapeamento linfático. A técnica identifica a real distribuição das cadeias que drenam diretamente do sítio primário tumoral, inclusive as anômalas, cujo potencial metastático é equivalente ao dos linfonodos das cadeias de drenagem clássicas.

 

 
< Anterior / Prev   Siguiente / Next>
Creative Commons License
Esta obra est� bajo una licencia de Creative Commons
© 2019 Alasbimn Journal
Joomla! es Software Libre distribuido bajo licencia GNU/GPL.
Admin

Alasbimn Journal ISSN.  0717-4055