Estamos en proceso de migración de contenidos al nuevo sitio de Alasbimn Journal. Puede acceder a los últimos artículos en: www.alasbimnjournal.net
Inicio arrow Poster: Cardiovascular arrow Achados da cintilografia miocárdica na cardiomiopatia hipertrófica.

Alasbimn Journal Year 13, Number 50, October 2010 / Año 13, Nº 50, Octubre 2010
XXV Congresso Brasileiro de Biologia Medicina Nuclear e Imagen Molecular
Pôster

Achados da cintilografia miocárdica na cardiomiopatia hipertrófica.

Caroline Muller Mayer; Maria Cecília Dambros Gabbi; Roberto Telles Ludwig; Paulo Ricardo Masiero; Ilza Vasques De Moraes; Daian De Bona Pessoa; André Onófrio Dos Santos.
HCPA, Porto Alegre, Rs, Brasil.

 

Resumo

Achados da cintilografia miocárdica na cardiomiopatia hipertrófica

Mayer, C M; Gabbi, M C D; Ludwig, R T F; Masiero, P R; Moraes, I V; Pessoa, D B; Santos, A O
HCPA–Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Objetivo

O valor da cintilografia miocárdica no diagnóstico diferencial de dor torácica.

Materiais e Métodos

Análise retrospectiva da história clínica de uma paciente. Revisão da literatura com as palavras-chave: cardiomyopathy, septal stunning, myocardial SPECT.

Relato de Caso

Paciente feminina, branca, 12 anos, interna no HCPA para investigar dor torácica associada à dispnéia e síncope. Fez uso de Carbamazepina por 2 semanas e o tratamento foi interrompido porsintomas adversos. Durante a internação realizou Hollter (ritmo sinusal, FC média de 67 bpm e ausência de taquiarritmias e condução AV e IV normais), Ecocardiograma (achados compatíveis com miocardiopatia hipertrófica) e Cintilografia Miocárdica (assimetria septal, sem isquemia miocárdica, na vigência de dor no peito). Com o diagnóstico de miocardiopatia hipertrófica septal assimétrica, iniciou uso de Metoprolol e Furosemida.

Discussão

Histologicamente a hipertrofia do VE está associada com o “desarranjo” na estrutura do tecido miocárdico que encontra-se em meio à extensas áreas de fibrose. As artérias coronárias intramurais têm diminuição do seu lúmen e espessamento da parede. A fisiopatologia é incerta, mas acredita-se que ocorra um fluxo aumentado de cálcio para o interior dos miócitos na sístole e na diástole, exacerbando a atividade sistólica e dificultando a diástole. Ocorre um gradiente pressórico (estreitamento) na via de saída do VE devido à acentuada hipertrofia septal e localização anômala da válvula mitral e pode ocorrer isquemia miocárdica por desbalanço entre oferta e demanda de 02. Os casos com sintomas leves são tratados com betabloqueador e verapamil, os com sintomas moderados à grave iniciam com tratamento farmacológico e, se não houver resposta, ablação alcoólica do septo ou miomectomia podem ser feitos. A história natural é que ocorra isquemia miocárdica, fibrose, remodelamento do VE, disfunção sistólica grave e insuficiência cardíaca grave. O diagnóstico ecocardiográfico demonstra um espessamento 1,3 à 1,5 vezes mais que a parede posterior, o que caracteriza a forma assimétrica (normal < 12mm). A cintilografia miocárdica permite visualização da perfusão miocárdica, presença de isquemia e áreas de fibrose, espessura do septo e da parede ventricular.

Conclusão

Em crianças, na presença de dor torácica e síncope, deve-se investigar a ocorrência de cardiomiopatia hipertrófica. Através do ecocardiograma estima-se a gravidade, o tipo morfológico e a presença ou não do gradiente pressórico. A cintilografia desempenha um papel fundamental na avaliação da presença de isquemia ou defeitos fixos (áreas de fibrose), sua extensão e a função sistólica. Exames de imagens devem ser utilizados para evitar submeter esses pacientes a procedimentos invasivos.

 

 
< Anterior / Prev   Siguiente / Next>
Creative Commons License
Esta obra est� bajo una licencia de Creative Commons
© 2019 Alasbimn Journal
Joomla! es Software Libre distribuido bajo licencia GNU/GPL.
Admin

Alasbimn Journal ISSN.  0717-4055